Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

LIVRO DO MÊS DE JANEIRO LIVRO DO MÊS DE JANEIRO LIVRO DO MÊS DE JANEI


O DIÁRIO DE ANNE FRANK, - Diário Gráfico,  Ari Folman e David Polonsky, Porto Editora, Porto, 2017

Amesterdão, 1942. A Alemanha nazi invade a Holanda.

Uma família judia de origem alemã - pai (Otto Frank), mãe (Edith Frank), filhas (Anne Frank, 13 anos e Margot Frank, 16 anos)-  interrompe a sua vida normal e vai viver até à sua prisão, em 1944, num anexo da empresa familiar. A eles junta-se outra família, pai, mãe e filho adolescente e, ainda, um dentista, todos eles judeus. Anne conta a uma amiga imaginária, Kitty, em forma de diário, as suas vivências antes do esconderijo e durante os longos anos que todos passaram fechados, só tendo contacto com o mundo exterior através de um número restrito de funcionários da empresa e do rádio e jornais diários.
Em virtude de uma denúncia, o anexo vai ser descoberto e todos são presos e deportados para campos de concentração. Só o pai de Anne sobrevive. É ele que vai publicar em 1947, pela primeira vez, o diário da filha.

O Diário de Anne Frank é a obra mais publicada e mais conhecida em todo o mundo sobre a perseguição nazi aos judeus.

O que tem esta nova edição de especial?

Os seus autores, um realizador de cinema e um ilustrador, revisitaram o texto e deram-lhe uma vida nova, em forma de diário gráfico/banda desenhada. O resultado é de grande qualidade. Os sonhos, os medos, as incertezas, o primeiro amor, os conflitos diários, a fome, a falta de higiene, o carácter de cada ocupante do anexo e, sobretudo, o humor, muitas vezes sarcástico, de Anne... tudo ganha nova vida através do desenho.
Aconselho vivamente a leitura desta obra. Os autores não adulteraram a história, mas enriqueceram-na com o seu cunho criativo. Partes houve em que entenderam reproduzir o texto original na íntegra, por o considerarem de tão grande qualidade, que não ousaram transformá-lo em ilustrações. A combinação do texto intacto com a “magia” da imagem dá ao leitor momentos de verdadeira evasão.


A leitura deste livro será uma boa forma de nos prepararmos para as atividades da Semana em Memória das Vítimas do Holocausto, que se vai realizar na Escola de 22 a 26 de janeiro, da responsabilidade da Associação de Estudantes, do Grupo de História e da BE/CRE.

Por iniciativa da professora Paula Faísca, decorreu uma palestra sobre o âmbito de ação da CPLP.

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa - é uma organização internacional fundada em julho de 1996 e formada por países lusófonos, cujo objetivo é o "aprofundamento da amizade mútua e da cooperação entre os seus membros", a saber:











DIA INTERNACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS

Voluntárias da Amnistia Internacional esclareceram
os alunos das turmas A, B e F do 10º ano e E do 11º, sobre os objetivos e o campo de ação desta ONG. 

Foi divulgada a campanha "Eu acolho", da Amnistia Internacional, no âmbito da crise dos refugiados, a maior crise humana dos nossos tempos.

Foi também promovida a Maratona de Cartas, o maior evento de ativismo da Amnistia Internacional, uma forma de luta contra a violação dos direitos humanos.




   Richard Towers, criador do Livro-Objeto, voltou à ESQM e apresentou a sua obra a todas as turmas do 7º ano.

O Desafio continua a ser o livro preferido dos alunos, que assim acompanham as aventuras de Karpin, o "imbatível jogador de xadrez a quem é proposto um desafio supremo - derrotar o melhor jogador de sempre."



"As regras do jogo são simples: uma sala neutra, um tabuleiro e um adversário desconhecido."   
                                           O desafio                                                                                                                                                                                   "De todos os livros que apresentou, o que me despertou mais atenção foi O Desafio, porque tem uma história bastante interessante e empolgante. Fiquei com pena de não saber o final da história - quem, afinal, é que ganhou o jogo de xadrez?" (aluno do 7ºA)

"(...) os livros de Richard Towers são muito diferentes dos livros normais tendo, todos eles, uma capa em 3D e sendo todos da mesma editora, criada pelo próprio autor."

 (aluno do 7ºA)

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

A Associação Portuguesa de Sociologia (APS) através da presença de um professor e alunos finalistas do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, veio à ESQM, a convite da profª Ana Paula Rio, explicar aos nossos alunos do ensino secundário  a importância do estudo da Sociologia para a compreensão do mundo atual. Pela temática da perspetiva sociológica promoveram uma atividade cultural assente  no desenvolvimento pessoal e social, contribuindo para a formação dos alunos como jovens cidadãos mais críticos e interventivos.


terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Encontro com a escritora Pat R


Neste mês de dezembro, Pat R fez duas sessões de apresentação da sua obra Os homens nunca saberão nada disto.

As sessões foram dirigidas às turmas de artes e a uma turma de humanidades. 

Pat R cativou os alunos não só pela sua facilidade de comunicação, como também pela associação original da escrita à imagem e ao rock psicadélico.


"23 ilustradores colaboraram na criação de um complemento visual à obra Os Homens Nunca Saberão Nada Disto - um romance gráfico intitulado Livro de Extras ou Emet, a Verdade. Este acessório pretende acompanhar a leitura da história e consta de vários elementos adicionais meticulosamente pensados para adornar e enriquecer o enredo: uma árvore genealógica que permite compreender melhor a estrutura da família Pollock; cinquenta e oito ilustrações de vinte e três ilustradores, colaborações de artistas de diferentes continentes, países e culturas, nas quais o universo de cada uma das personagens é recriado e interpretado através de símbolos, referências visuais, espaços; a recriação do álbum de fotografias da família Pollock, frequentemente referido pelos narradores; uma retrospetiva do trabalho artístico de Lizz Moon e um cd, no qual é interpretado o mítico álbum dos Ouranos "Evergreen Queen", lançado em 1969, numa recriação das mentes criativas de Mike Ghost e Fernando Matias."


http://www.thepatr.com/novels









segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Assinalámos a Semana Nacional da Cultura Científica com a atividade...

À conversa com cientistas

Preparação da atividade:


· Apresentação dos cientistas a trabalhar, de acordo com sugestões dos professores das áreas de ciências.

· Trabalho de pares – 1 cientista para dois alunos, escolhido em aula.

· Pesquisa sobre a vida e a obra do cientista em casa e na BE.

· Seleção e tratamento da informação.

· Redação na aula, com base na pesquisa dos dois alunos, de conversas /diálogos/ reportagens (algumas com humor) envolvendo o entrevistador e o entrevistado.


· Apresentação oral na biblioteca interturmas (ter apenas cuidado para diversificar os cientistas por bloco no dia da apresentação).


Da área da matemática: 

- Muhammad al-khwarizmi (Números)
- Leonardo de Pisa (algarismos hindu-árabes na Europa)
- Nicole d' Oresme (Funções)
- François Viéte  (Funções)

Da área da geografia: 

- Alexander Von Humboldt  (pai da Geografia moderna)

- Orlando Ribeiro 

Da área das ciências:

- Alfred Wegener (Teoria da Deriva dos Continentes)
- Casal Kraft
- António Galopim de Carvalho
- Vítor Hugo Forjaz
- Horácio Mateus
- Harry Hess
- Charles Francis Richter (escala sismológica)



Da área da físico-química:

- Ptolomeu (modelo geocêntrico)
- Copérnico (modelo heliocêntrico)
- Galileu Galilei (modelo heliocêntrico)
- Messier (constelação)
- Hubble (nome do telescópio)
- Fernão de Magalhães (nuvem de Magalhães)














A Feira de Minerais também fez parte desta Semana Multidisciplinar:





sexta-feira, 17 de novembro de 2017

LIVRO DO MÊS LIVRO DO MÊS LIVRO DO MÊS LIVRO DO MÊS LIVRO 

                Este é um livro de homenagem a Bento de Jesus Caraça, personalidade que marcou profundamente o universo científico português do século XX. Nos dias que passam, em que o saber científico parece ter perdido a nitidez e a estabilidade de contornos que o caracterizavam, o exemplo humano de uma figura com a dimensão ética de Bento de Jesus Caraça tornou-se precioso.

 A obra compõe-se de duas partes distintas:

     apresentação de Bento de Jesus Caraça ao público contemporâneo, reunindo textos que revelam o seu percurso intelectual, político e humano e relevando o motivo por que o ilustre matemático, tão precocemente falecido, se tornou uma figura tutelar no debate sobre a relação entre Ciência e sociedade em Portugal. João Caraça, Paulo Almeida, Helena Neves e Alberto Pedroso escrevem sobre o brilhante cientista e notável cidadão.

 Os ensaios reunidos na segunda parte abordam a temática "Ciência e cidadania" a partir de distintas perspetivas.

Sessenta anos após a sua morte, a questão “Ciência e cidadania” continua premente, emergindo agora em novas áreas e sob novos olhares. No mundo em que vivemos, a Ciência penetra o nosso quotidiano, chegando a esconder-se por trás da sua omnipresença. Em resposta a este desafio, foi possível reunir uma coleção de ensaios de grande atualidade de Fernando Gil, Hermínio Martins, João Arriscado Nunes, Luísa Schmidt, Maria Eduarda Gonçalves, Nuno Crato, Ruy de Carvalho e Viriato Soromenho-Marques.

LIVRO DO MÊS LIVRO DO MÊS LIVRO DO MÊS DE NOVEMBRO DE 2017

 Outubro 

MÊS INTERNACIONAL DA BIBLIOTECA ESCOLAR

Este ano, o tema definido pela International Association of School Librarianship (IASL) para o Mês Internacional da Biblioteca Escolar (MIBE) é:


Ligando comunidades e culturas

- Apresentação da BE (espaços, recursos, site, blogue)

- Exposição "Breve História das Bibliotecas" 

- Mostra de recursos 

- Avaliação da visita

OPINIÕES DOS ALUNOS DO 7º ANO SOBRE A VISITA À BE

OUTUBRO 2017

“Eu gostei muito porque promove o gosto pela leitura, dá a conhecer os espaços, as regras e as atividades que podemos fazer na BE.”

“(…) foi muito interessante não só para a nossa cultura como para sabermos onde devemos ir para ler, estudar e descontrair.”

“Gostei das diferentes revistas e livros. Aprendi a ver os locais da biblioteca. E também gostei de encontrar a minha coleção favorita.”

“(…) passei a conhecer mais um pouco da biblioteca, e gostei muito de mexer e saber como o E-reader funciona.”

“Fiquei a saber sobre as bibliotecas de antigamente, como eram quando abriram, etc. A apresentação era elaborada e bem organizada. Foi uma atividade exploradora e divertida. A biblioteca está bastante organizada e eu vou começar a vir aqui mais vezes, para estudar, ler ou pesquisar.”

“A biblioteca tem um papel importante no nosso desempenho escolar e acho que devemos visitar a biblioteca para apurarmos o nosso conhecimento, para além disso o espaço é ótimo.”

“(…) a biblioteca tem as coisas necessárias para o “saber” de um aluno.”

“(…) esta atividade despertou o meu interesse. Agora já sei mais informação e posso transmiti-la para quem ainda não sabe.”

“Fiquei a saber o que é uma cota, como se requisita livros e quando começaram a aparecer as bibliotecas.”

“(…) também aprendi a organizar-me na biblioteca.

“Vi como se utiliza a BE, fiquei a saber como a usar e para quê, e além disso fiquei a saber um pouco da história das bibliotecas.”

“Gostei  do espaço, tem várias coisas engraçadas que eu nunca imaginei que uma biblioteca tivesse.”


“Aprendi muitas coisas: como a biblioteca funciona e o comportamento que temos de ter e as regras que temos de cumprir.”

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

 LIVRO DO MÊS LIVRO DO MÊS LIVRO DO MÊS LIVRO DO MÊS LIVRO 



Como um romance


Obra muito original, em que, com humor, mas também seriedade, Daniel Pennac, romancista, professor e pai, descreve as perplexidades dos pais e dos filhos no conflito surdo que é o do interesse e do prazer da leitura, que muitos dos jovens teimam em não reconhecer. De facto, tem de se gostar de ler e, por isso mesmo, os leitores usufruem de direitos, que o autor enuncia como “Os direitos inalienáveis do leitor”.

Escritor francês de sucesso internacional. Tem, como destaque, o Prémio Renaudot de 2007, que ganhou pelo seu romance autobiográfico Mágoas da Escola, obra traduzida em 24 países.
Em 2008, Daniel Pennac obteve, pelo conjunto da sua obra, o Prémio Metropolis Bleu, anteriormente atribuído a escritores como Margaret Atwood, Carlos Fuentes, Paul Auster ou Norman Mailer.



segunda-feira, 2 de outubro de 2017


DIA EUROPEU DAS LÍNGUAS



26 de setembro 






Objetivos: promover a aprendizagem de línguas;
  celebrar a diversidade linguística na Europa.

Público-alvo: turmas de 7º e 10º anos

Atividades: Exploração do site oficial http://edl.ecml.at/Home e breves “quizzes”.





                    Avaliação da atividade pelos alunos.



HORAS
TURMA
ATIVIDADE
PROFESSOR
8:15
10ºB e 10º F
Exploração de sites indicados pelas professoras e apresentações, em pequenos grupos, de informação sobre as línguas europeias.
Nilda (Ing.) e Susana Ximenes (Esp.)
9:00
10ºB e 7ºE
Exploração de sites indicados pelas professoras e apresentações, em pequenos grupos, de informação sobre as línguas europeias.
Nilda e Eduarda Conde (Ing.)




11:45
7ºD
Exploração do site http://edl.ecml.at/Home e resolução de quizzes.
Sandra Carreira
12:30
7ºA, 7ºB e 7ºD

Jogo das Línguas.
Julieta Lopes (Fr.), Eduarda Conde e Joaquim Gonçalves (Ing.)




15:10



7ºF
Exploração do site http://edl.ecml.at/Home e resolução de quizzes.
Izilda Pires (CD)

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Sessão com a enfermeira Ana Lopes e a Drª Marta Camilo, sobre "Consumo de Substâncias Ilícitas", com o 10ºA e com o 9ºF.




Diálogo aberto, sem tabus, 
muitas questões, informação, partilha de opiniões, moderação...